sábado, 31 de dezembro de 2016

Dicas Para Servidores No Vermelho I - Dívidas Bancárias

Observando o sofrimento e até mesmo o desespero dos servidores do ERJ que não receberam até agora o salário de Novembro e estão no fundo do poço. São dívidas acumuladas, credores atormentando dia e noite e muitas vezes falta até comida na mesa do servidor!

Os pensionistas e os aposentados estão sofrendo um nível mais elevado ainda porque geralmente são idosos com limitações físicas e com despesas elevadas com medicação, plano de saúde, alimentação e os proventos quase sempre são parcos! 

Eu decidi colocar aqui algumas dicas para aliviar o sofrimentos do servidores ativos e inativos. Infelizmente não posso ajudar a pagar dívidas com bancos, financeiras, cartões, alugueis e condominios, contas de água, luz, gás e telefone. 

Queria poder ajudar mas infelizmente estou também sem receber meu salário. Mas vou dar algumas dicas para tentar resolver ou pelos menos amenizar os problemas gerados pelo não pagamento de nossos salários.
Renegociar as dívidas

1) Procures os credores

 Bancos e Financeiras

Está devendo cheque especial, empréstimos pessoais e cartão de crédito? Se a resposta for sim procure o mais urgente possível seus credores e sente para negociar as dívidas. Sente com o gerente e diga que deseja renegociar as dívidas estendendo o tempo para pagamento e diminuindo o valor das parcelas. 

O cheque especial cobra juros exorbitantes então negocie o débito e saia dessa furada. Está com o cartão de crédito pendurado também e pagando somente o valor mínimo e não consegue sair dessa bola de neve?

 Negocie e parcele. Se tiver mais de um cartão de crédito parcele as fatura e cancele os cartões e deixe apenas um com o menor limite possível e apenas para emergências! Eu disse emergências como remédios, colocar um gasolina no carro, comprar algo que quebrou em casa como um chuveiro e para pagar uma conta importante como água ou luz! Nada de comprar supérfluos e outras bobeiras! 

O cartão de crédito  dá a falsa sensação que você tem dinheiro mas fuja disso amigo servidor! O limite que o banco dá não é seu meu querido é  do banco e ele te cobra uma fortuna de juro se por acaso o pagamento for realizado com atraso ou pior pagando o mínimo e caindo no rotativo. O governo disse que vai acabar com o rotativo mas não atual situação quebre sem dó seus cartões! Eu fiz isso cortei dois dos meus três cartões! 

Cortei em muitos pedadinhos e fiquei com apenas um cartão com limite de R$ 1.000,00 somente para EMERGÊNCIAS! Nós servidores por termos emprego garantido os bancos nos acostumaram mal dando limites altissimos para nos iludir! Eles querem tirar nosso suado dinheiro com juros simples e compostos! Saia dessa amigo servidor! 

*Dica* Se o banco que estiver devendo for o mesmo que você recebe seu salário e o gerente não estiver afim de negociar diga que vai levar seu pagamento para o banco concorrente! Tipo se recebe pelo Bradesco e eles estão dificultando a renegociação diga que vai mudar seu pagamento para o banco Itau, Santander! Use isso ao seu favor

 Problemas com o emprestimo consignado?

Há  muitos relatos de cobranças indevidas para quem possui consignado. Muitos servidores tem as parcelas descontadas no contra-cheque  mas o Estado não tem repassado o valor devido aos bancos. Os bancos então de forma indevida debita o valor na conta corrente do servidor. Essa cobrança é ilegal e você amigo servidor não só ´PODE como DEVE mover uma ação contra o banco por apropriação indébita, cobrança indevida e pode até processar o Estado por não cumprir sua parte do contrato que é repassar aos bancos o valor descontado em folha.

Isso aconteceu como meu marido que também é servidor da ativa como eu. O banco Itau debitou o valor das parcelas que o estado descontou e não repassou para o banco.  Procuramos uma advogada que moveu uma ação contra o banco e ele ganhou e até já recebeu o valor que a Justiça obrigou o banco a pagar. O banco Itau descontou novamente e assim que  o recesso acabar vamos entrar com nova ação e como o banco é reincidente acredito que vamos ganhar um valor maior ainda de indenização. 

Então amigo servidor que passou por essa experiência faça o seguinte:

- Tire xerox dos extratos bancários referente ao debito de parcelas do consignado em sua conta corrente
- Tire xerox dos contra-cheques que demonstram o desconto do consignado em folha.
- Tire xerox do seus documentos pessoais e um comprovante de residência
- Procure um advogado e mova uma ação no Juizado Especial Cível que costuma ser mais rápido e peça ressarcimento  das parcelas descontadas indevidamente e também danos morais.
Esse é o primeiro passo para sair do sufoco. Aguarde novas postagens!

0 comentários:

Postar um comentário